SNIRH JÚNIOR
Conhecimento e Diversão

Rios de Portugal Continental

Hidromorfologia dos rios

Rio Tejo
REGIÃO
Região Centro
NASCENTE
Serra de Albarracín (Fuente Garcia)
FOZ
Lisboa (Bugio)
ALBUFEIRAS
Alcantara, Cedillo, Fratel, Belver, Pracana (Ocreza), Castelo do Bode(Zêzere), Cabril(Zêzere), Montargil(Sorraia) e Divor(Sorraia)
PRINCIPAIS AFLUENTES
rio Sorraia, rio Zêzere, rio Salor, rio Ponsul, rio Ocreza, rio Erges, rio Maior (Vala da Azambuja), rio Sever, ribeira de Muge, Vala da Amieira, Vala de Alpiarça, ribeira do Aravil, rio Alviela, rio Trancão, rio Alenquer, rio Almonda e ribeira de Nisa
SERRAS
Serra da Amieirosa, Serra da Forca, Serra da Moita da Asna, Serra da Piçarra, Serra das Ligeiras, Serra das Talhadas, Serra de Almeirim, Serra do Carvalhal, Serra do Casal, Serra do Moledo, Serra do Perdigão e Sierra o Puente
POVOAÇÕES
Abrantes, Almada, Almerim, Alpiarça, Azambuja, Cedillo, Chamusca, Constância, Entroncamento, Gavião, Golegã, Herrera de Alcantara, Salvaterra de Magos, Vila Franca de Xira, Vila Nova da Barquinha, Vila Velha de Rodão, Santarém, Lisboa, Seixal, Montijo, Alcochete e Benavente
DENSIDADE POPULACIONAL (hab./km2)
124.9
GEOLOGIA
A partir da Carta Litológica do Atlas do Ambiente podemos constatar que a parte portuguesa da bacia do rio Tejo é constituída principalmente por areias, cascalheiras e aluviões (39%), ocorrendo igualmente xistos (32%), granitos (14%), com menos frequência ocorrem quartzitos (2%).
OCUPAÇÃO DO SOLO
Com base no Corine Landcover de 2000 a ocupação do solo na parte portuguesa da bacia hidrográfica do rio Tejo é a seguinte:44.3% de áreas agrícolas, 2.7% de áreas artificiais,51% de florestas e meios semi-naturais, 2% de meios aquáticos e planos de água. Na parte espanhola da bacia temos: 46.4% de áreas agrícolas, 2.3% de áreas artificiais, 50.28% de florestas e meios semi-naturais, 1% de meios aquáticos e planos de água.
COMPRIMENTO DO RIO PRINCIPAL (km)
891
COMPRIMENTO DO RIO PRINC. EM ESPANHA (km)
660
ÁREA TOTAL DA BACIA (km2)
80906
ÁREA DA BACIA ESPANHA (km2)
55000
DECLIVE MÉDIO DA BACIA (%)
9.9
CAUDAL MÉDIO ANUAL (m3/s)
315.2
TEMPERATURA MÉDIA ANUAL (ºC)
15.6
PRECIPITAÇÃO MÉDIA ANUAL (mm)
799

Selecciona um rio

Alviela | Arade | Ave | Cávado | Douro | Guadiana | Isna | Lima | Lis | Minho | Mira | Mondego | Nabão | Sado | Sorraia | Tejo | Tâmega | Vouga | Zêzere

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player



Fotos e vídeos

Ver video - Rio Tejo (abre numa nova janela) Ver video - Albufeira de Belver (abre numa nova janela)  Ver carta PDF - Carta hidrográfica da Bacia do Tejo (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  Ver foto (abre numa nova janela)  

Estações de Monitorização

Estações Hidrométricas:
medem níveis, caudais e volumes.


Estações Meteorológicas:
medem precipitação, temperatura, velocidade e direcção do vento, humidade, radiação, evaporação e pressão atmosférica.


Estações Piezométricas:
medem os níveis de água subterrânea.


Estações de Qualidade Subterrânea:
medem a qualidade da água em aquíferos.


Estações de Qualidade Superficial:
medem a qualidade da água em albufeiras e rios.

BARCA AMIEIRA (ALB. BELVER), PERAIS (ALB. MONTE FIDALGO - CEDILHO), ALB. BELVER, ALMOUROL, ÓMNIAS 1, TRAMAGAL e VALADA _TEJO
O SNIRH-JÚNIOR é um site integrado no Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos

PESQUISAR


English Version

English Version.

ACESSIBILIDADE

Símbolo de Acessibilidade à Web. [D]